quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Campanha Contra a Violência Infantil

 Praticar violência contra uma criança é crime. E para isto existe uma legislação específica – O Estatuto da Criança e do Adolescente – que está aí para determinar a punição. No Brasil é caso de polícia.
Só para se ter uma idéia da gravidade da questão, é bom lembrar que todos os dias mais de 18 mil crianças são espancadas no país, segundo dados da UNICEF – Fundo das Nações Unidas para a Infância. Segundo a UNICEF, as mais afetadas são meninas entre sete e 14 anos.
No Brasil, onde existe uma população de quase 67 milhões de crianças de até 14 anos, são registrados por ano 500 mil casos de violência doméstica de diferentes tipos. Em 70% dos casos os agressores são pais biológicos.
A violência contra a criança é crescente, mas nem sempre ocorre na forma de abuso sexual, tema que vem sendo amplamente discutido. Levantamento inédito do Núcleo de Atenção a Criança Vítima de Violência, da Universidade do Rio de Janeiro(UFRJ) mostra, com base de dados coletados de 1996 a Junho deste ano, que:
• 29,1% de meninos e meninas são vítimas de abuso físico.
• A violência sexual aparece em segundo lugar – 28,9%
• 25,7% sofreram negligência
• 16,3% abuso psicológico

❤ฺ  ฺ❤ฺ ฺ❤ฺ ฺ❤ฺ ฺ❤ฺ ฺ❤ฺ ฺ❤ฺ ฺ❤ฺ ฺ❤ฺ ฺ❤ฺ ฺ❤ฺ ฺ❤ฺ

(meu desenho preferido da infância - Turma da Mônica)

Como forma de manifesto contra a violência infantil, uma campanha está sendo realizada nas redes sociais sugerindo que as pessoas troquem as imagens de seus perfis por um desenho animado ou personagem de gibi até o dia 12 de outubro, Dia das Crianças. É grande a movimentação no Twitter e Facebook e a interação entre os membros que estão aderindo-a está sendo engraçadíssima.
A violência contra a criança e o adolescente é marcada por formas distintas. São elas: violência física, violência psicológica, violência sexual e violência de abandono. Inserir a triste e degradante realidade nacional nas redes sociais faz-se importante como forma de sensibilização. Partindo do princípio de que onde não há diálogo não há violência, a campanha retrata uma simples indignação da sociedade sobre o assunto e, para isso, em minha opinião, independe o teor humorístico com que a campanha está sendo tratada, mesmo sabendo de que se trata de um assunto triste e delicado. Vamos participar?
Sigam essa blogueira no Twitter e Facebook.

OBS: Para fazer a denúncia contra a Violência Infantil, ligue 100 (ou denuncie clicando aqui) ou vai até um Conselho Tutelar mais próximo.